segunda-feira, 29 de junho de 2009

Perdão, meu Deus!



Perdão meu Deus! Pelas vezes que fui ao culto buscar bênçãos de ti. A religião nunca me ensinou o real poder da cruz e da ressurreição, muito menos a versão “evangélica” (do evangelho) de culto, que enuncia ser o culto um ambiente comunitário de total louvor ao nome bendito de Jesus Cristo, a quem devemos a vida. Enganado, fiz do culto em Cristo um ambiente pagão, pratiquei de maneira insana a filosofia do “toma lá, da cá”, usei de barganhas, clamei pela sua mão e me esqueci da tua maior obra: a redenção.

Perdão meu Deus! Pelos dias que me desgastei preocupado com as minhas coisas, esquecendo-me de buscar o seu reino e a sua justiça. É muito difícil entender a graça, a segurança e o consolo que seu Filho nos prometeu; estas, não são palavras de fácil compreensão para quem foi, por muito tempo, prosélito de quem se julga detentor absoluto da verdade.

Perdão meu Deus! Pelas músicas que cantei, pelo: “restitui! Eu quero de volta o que é meu!” E tantas outras imbecilidades entoadas por mim. Como prosélito de néscios travestidos de sacerdotes, adotei a filosofia que dicotomiza música evangélica e música “do mundo” e acabei coando o mosquito e engolindo camelos. Por um desvio teológico o movimento evangélico tem cantado mentiras absurdas em nome de Deus, saciando o ego humano e a fome de injustiça de Satanás, enquanto as músicas populares, com poesias brilhantes, louvam a Deus, bendizendo a vida.

Perdão meu Deus! Por ter idolatrado a Bíblia por tanto tempo, fazendo dela o livro dos livros, mas esquecendo-me de vivenciá-la. Pelas vezes que fiz dela um livro de necromancia evangélica, tirando dela seu objetivo único de revelar Deus ao homem e o homem ao homem de maneira escrita pelos seus servos e inspirada pelo seu Espírito. Pelas vezes que a li só por ler, sem a pretensão de entendê-la, mas com o fim de decorar versículos para cuspi-los nos rostos daqueles que não fazem parte da tua igreja bendita.

Perdão meu Deus! Pelas vezes que deixei de desfrutar a vida em nome de uma santidade vulgar, imbecil e não-bíblica. Por obstruir a vida em favor de questiúnculas de seres humanos que se preocupam em manipular o outro e a divindade, em favor dos “bons costumes”.

Meu Deus, arrependido e disposto a reviver, ante as novas oportunidades que só o Senhor concede aos que o buscam com um espírito contrito e um coração arrependido, confesso-lhe me sentir um estranho em meio a tanta ignorância entre aqueles se dizem teus filhos.

Por Jesus Cristo,

Will

domingo, 28 de junho de 2009

você...



Ou Não ?

sexta-feira, 26 de junho de 2009

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Três poemas de Gióia Júnior

Tarsila do Amaral - Morro da favela


SALMO I

O Senhor está no barracão da favela
e a fome é menos rude
e o frio é mais ameno;

O Senhor está nos bondes barulhentos
e o cansaço é mais leve
e o perigo é menor;

O Senhor está ao lado dos guardas da noite
e o medo não existe
e não há solidão;

O Senhor está no cais onde os homens trabalham
e os fardos são mais leves
e as horas menos lentas;

O Senhor está nos asilos onde os jovens anseiam
e a Sua presença aquece
como um retorno de mãe;

O Senhor está nos hospitais de indigentes
e a dor desaparece
e o sono logo vem...

Bendito seja o Senhor!
______________Bendito seja!
_________________________Amém!



INTERLÚDIO I

Ah! noite aquela em que Ele foi traído!
e foi abandonado e foi moído
por minhas transgressões! Ah! noite aquela,
dura e profunda, silenciosa e bela!
de uma beleza trágica e voraz!
De ti, oh, noite, vem a nossa paz...
De tua escuridão irrompe a luz
nasce o perdão, desperta a fé, emerge a cruz.



INTERLÚDIO II

Onde estão os muros da Cidade Eterna?
onde estão os salvos? e os queridos meus?
onde estão as luzes da manhã primeira?
onde a estrela santa do menino-Deus?
onde estão as vozes do coral celeste
anjos proclamando que chegou a luz?
onde brilha agora o sangue do Cordeiro
no momento exato em que morreu na cruz?

Meu Divino Mestre, dá-me a Tua mão
para que eu os ache no meu coração!
e embora haja trevas e embora anoiteça
que eu nunca os esqueça... que eu nunca os esqueça.

Do livro '25 Anos de Gióia Júnior', Editora Betânia, 1976

Ligue agora e diga não à MP 458!


Na quarta-feira, dia 02/06, o senado brasileiro aprovou a MP 458 . Esta medida presenteia todos aqueles que fizeram grilagem na Amazônia com a regularização de terras ocupadas ilegalmente.

A decisão de vetar a MP 458 está nas mãos do Presidente Lula. Se ela for aprovada, 67 milhões de hectares de terras públicas da Amazônia serão privatizados. Um patrimônio estimado em 70 bilhões de reais irá parar nas mãos dos grileiros.

Precisamos reverberar nossa voz. Só temos até dia 25/06! O Gabinete de Lula está recebendo milhares de ligações pedindo para que a MP 458 não seja aprovada. Peça também para que o presidente Lula lidere o mundo no combate ao desmatamento e à crise climática na próxima Convenção sobre Mudanças Climáticas que acontece em Copenhague, na Dinamarca, em dezembro.

Faça sua parte, ligue e espalhe os números e o e-mail do presidente Lula para seus amigos. Peça para que eles digam NÃO A MP 458.

Telefone do Gabinete do Lula:

(61) 3411.1200 ou (61) 3411.1201


Ou envie um e-mail através do link:

https://sistema.planalto.gov.br/falepr2/index.php

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Rob Bell - 09 - Bulhorn




terça-feira, 16 de junho de 2009

COISAS IMPORTANTES A APRENDER COM A ARCA DE NOÉ


1) Não perca o barco.

2) Lembre-se de que estamos todos no mesmo barco.

3) Planeje para o futuro. Não estava chovendo quando Noé construiu a Arca.

4) Mantenha-se em forma. Quando você tiver 60 anos, alguém pode lhe pedir para fazer algo realmente grande.

5) Não dê ouvido aos críticos; apenas continue a fazer o trabalho que precisa ser feito.

6) Construa seu futuro em terreno alto.

7) Por segurança, viaje em pares.

8) A velocidade nem sempre é uma vantagem. Os caramujos estavam a bordo com os leopardos.

9) Quando estiver estressado, flutue por um tempo.

10) Lembre-se, a Arca foi construída por amadores; o Titanic por profissionais.

11) Não importa a tempestade, pois quando você está com Deus há sempre um arco-íris te esperando.

Bodas de Prata no namoro.



Estamos vivendo um problema que não lembro de ter lido algo parecido na história e, como tudo que é novo a igreja demora anos para assimilar, não estamos sabendo tratar o assunto como deveríamos.

Estou me referindo aos namoros de hoje.

Os jovens, ou melhor, os adolescentes estão começando os namoros mais cedo. Os meus pais começaram a namorar com 16 anos, o meu primeiro beijo foi dado com 14 e hoje já é comum ouvir entre os adolescentes que o primeiro beijo foi dado aos 10 anos.

Nem quero entrar no âmbito da precocidade dos adolescentes, que isso é uma outra questão a se tratar.

O problema não está apenas no começo do namoro, mas também no fim dele. A nossa sociedade capitalista e triunfalista nos formatou da seguinte forma: o certo é casar depois que a vida estiver estável financeiramente. Os meus pais se casaram com 19 anos, a minha geração se casou com 25 e agora a maioria está se casando com 28, 30 anos.

Está posto à mesa um problema que não se viu antes, a fase de namoro de uma pessoa deu um salto de 4 anos a 20 anos em pouco mais de uma geração. Logo vamos falar em bodas de Prata no namoro.

E quanto a nós, cristãos conservadores, que acreditamos que o sexo é para o casamento?

Um adolescente recebe, desde os 10 anos, uma carga grande entre os amigos para namorar, ouve na igreja para se abster do sexo e ouve dos pais para nem pensar em casar antes de se formar na faculdade.

Soluções como a proibição dos pais ao namoro até certa idade já se mostrou apenas um combustível altamente inflamável para os adolescentes. A proposta dos líderes de jovens para um namoro sem nenhum contato físico, a corte, não foi aceita pela maioria e acabou gerando muitos fariseus legalistas e mentirosos entre seus membros.

Em uma coisa acredito que todos concordam, no “carro chamado intimidade” no namoro não existe marcha ré.

A pergunta é: o que se deve ensinar para esta geração chegar ao casamento sem transar?

Tenho viajado o Brasil todo, ouvido e visto de tudo.

A maioria prefere ignorar o problema e continuar falando genericamente do assunto, outra parte quer ensinar baseado em um pecado: o medo.

Colocam medo nos adolescentes, além de mandarem para o inferno os que caíram, gastando horas mostrando que as meninas podem engravidar, pegar uma doença fatal, e a mais usada, pode criar traumas que irão carregar para o resto de suas vidas. Todas essas conseqüências eu acho que são reais e devem ser expostas, mas não acho que isso vai impedir alguém de transar na hora que a coisa esquenta. Pois a camisinha e os psicólogos já foram inventados.

João falou em sua carta que “no amor não existe o medo, antes o perfeito amor lança fora o medo”.

Estamos falhando, porque a solução não é o terror e nem o medo, é o amor.

Acredito fielmente que a tarefa quase impossível de se guardar para o casamento não é conquistada por mais ou menos leis, por medo, mas sim por amor a Deus.

Se nós nos aproximarmos de Deus de tal forma que nos relacionemos com Ele como amigos íntimos, entenderemos o que Ele fez na cruz por nós. Aí sim começaremos a entender que não temos que obedecer a bíblia para não ir para o inferno ou para não receber castigo de Deus, mas sim porque amamos e somos gratos para com aquele que nos salvou.

Alguns podem até cair, pois nem sempre permanecemos focados em Deus, mas assim que o Espírito nos lembra do evangelho, voltamos a querer, acima de nossas vontades, agradá-Lo em gratidão.

Acredito que uma boa conversa preventiva, uma boa educação em casa e na igreja ajudam, mas acredito fielmente que a boa conduta de alguém está baseada no amor e na gratidão de uma pessoa que foi salva por Cristo.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

quarta-feira, 10 de junho de 2009

As más novas

Secrets photo

Porque antes de aceitar as boas-novas a respeito de Jesus, precisamos aceitar as más novas sobre nós mesmos”. (Warren W. Wiersb, 1987)
Encontramos a pregação de um evangelho que seduz os ouvintes com palavras de êxito. Em segundo plano vem o trabalho de bastidores para que o povo entenda o evangelho. Nisso, a igreja vai se enchendo de pessoas que simpatizam com a mensagem. Quanto isso nos custará? Quanto isso nos custa hoje? Estamos colhendo o fruto; ser uma igreja que cada vez menos expressa o Deus a quem diz servir. Quem deseja conhecer a Deus em profundidade talvez não encontre nessa igreja a resposta. Ser igreja tem que ser muito mais que cultos especiais e campanhas. Muito mais que costumes e tradições. Muito mais do que estamos sendo. E sabemos disso!
O pecador que não é convencido de seu pecado, não aceita as boas-novas. Se convencer do pecado não é apenas ser sincero e dizer que tem pecado. Não é balançar a cabeça e dizer que um dia vai vencer. Não é se entregar e esperar que Deus faça algo. Deus já fez algo, agora precisamos concordar com Ele. Concordar com a trindade, concordar com a Palavra de Cristo. Como disse Oswald Chambers: “Para o homem natural nada há de atraente no evangelho; só o homem convicto do pecado acha o evangelho atraente”. Ao construir sua mensagem, ao compartilhar o amor de Deus às pessoas, não deixe de tratar o pecado. Cristo fazia isso, façamos também.
Medite nisso e se necessário reescreva suas mensagens!

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Rob Bell - 08 - Dust




Pintura Corporal

Cara eu praticamente axei muitoooooooooooooooooooo perfeito.

dia aew é pintar muitooooooooooooooooooo mais muitooooooooooooo bemmmmm.

ficquem com Deus!

e bom resto d semana














terça-feira, 2 de junho de 2009

Coisas que deviamos saber...